[ad_1]

Callebaut Chocolate Weekend acontece de 23 a 27 de setembro e mobiliza nove lojas para criar receitas inéditas especiais para delivery ou aproveitar em loja

Com o tema “Origens da Primavera”, a Callebaut Chocolate Weekend Fortaleza, promovida pela marca de chocolate belga, reúne – de 23 a 27 de setembro – nove estabelecimentos, entre confeitarias, cafeterias e gelaterias da capital cearense em circuito recheado de receitas usando chocolates de Origem do Brasil, países da América Central, África e Ásia. Além de provar os doces dos melhores confeiteiros da cidade, o público poderá conferir uma maratona de Lives gratuitas com chefs especializados em chocolataria.

A marca Biscoitos Briejer utiliza em sua criação o chocolate de Origem Brazil, meio amargo, com 66,8% cacau, com amêndoas produzidas na Bahia e Pará. Já Lia Quinderé, da Sucré Patisserie, e Bárbara Saunders, da Cacao – Confeitaria Saudável foram desafiados a utilizar o amargo Kumabo, com 80,4% cacau do Oeste Africano. Para homenagear a longa tradição no cultivo de cacau de alta qualidade em São Thomé – local conhecido como a Ilha do Chocolate, na África – foram recrutadas a Bellucci Gelateria e San Paulo Gelato. Já Nusse Café e Doceville vão abusar da técnica e criatividade para desenvolver receitas com o Ao Leite de Java (32 % cacau) – uma das mais de 17 mil ilhas da Indonésia. E, por fim, Pâine artesanal/ Croissanterie e Le Pain Le Café ficaram incumbidos de representar Arriba, localizada no Norte do Equador, com 39% cacau. Os doces do festival ficarão disponíveis via delivery ou em loja.

E, já nesta terça-feira, 22, começa uma maratona de Lives cheias de conteúdo e receitas com os mesmos chocolates utilizados na programação cearense. O chef gaúcho Cássio Cevallos abre o circuito no dia 22, falando do chocolate Brazil, seguido por Felipe Cicconato, com chocolate São Thomé no dia 23. No dia 24 Bertrand Busquet, diretor da Chocolate Academy São Paulo traz as delícias do chocolate Arriba; dia 25, Lia Quinderé com o chocolate Kumabo e Luciano Chaves encerra no dia 26 com muitas dicas sobre o chocolate São Thomé. As Lives serão transmitidas pelo Instagram @callebautbrasil sempre às 16h.

Sobre a Barry Callebaut

Há mais de 100 anos, a Callebaut produz chocolate belga e é um dos raros fabricantes que controla todo o processo de produção, desde a seleção, até a torrefação, moagem e preparo da massa de cacau. No Brasil desde o início dos anos 2000, a marca atende chefs e confeiteiros com chocolates, decorações, pastas e recheios para as mais diversas aplicações. Desde 2010, a empresa atua também por meio da marca nacional Sicao, produzida em Extrema (MG) com cacau originário da Bahia e Pará. Tanto a Callebaut quanto a Sicao fazem parte do grupo Barry Callebaut, sediado em Zurique, na Suíça, que mantém compromisso com a sustentabilidade do chocolate para que se torne realidade até 2025, ajudando a garantir a oferta de cacau assim como a qualidade de vida dos produtores. A companhia apoia a Fundação Cocoa Horizons e sua missão de transformar o futuro do cacau sustentável e do chocolate.

Serviço: Callebaut Chocolate Weekend Fortaleza – 23 a 27 de setembro

Nusse (somente delivery) https://www.instagram.com/nusse.cafe/
Choux Cream Nusse – Choux com craquelin de castanha de caju recheado de cremeux de chocolate Java “Callebaut” e especiarias.

Pâine Croissanterie – RioMar Papicu (em loja ou para levar)https://www.instagram.com/painecroissanterie/
Croissant Coco Arriba (R$ 23,50) – Croissant de fermentação natural com ganache de chocolate Callebaut arriba aromatizado com rum Malibu e praline de coco queimado. Finalizado com ganache montée de chocolate Callebaut 54,5%, placa de chocolate arriba e fitas de coco glaceadas.

Sucré Patisserie (somente em loja)https://www.instagram.com/sucrepatisserie/
Sopa de Chocolate Kumabo (R$ 19,20) – Creme anglaise de chocolate ao leite, com mi cuit de chocolate blend de origens Kumabo, crocante praliné, e um toque de pimenta rosa e milho.

Bellucci Gelateria (somente na loja e delivery do Meireles)https://www.instagram.com/belluccigelateria/
Gelato vegano de chocolate 70% de São Tomé callebaut com infusão a frio de cachaça artesanal com manga em pedaço

Doceville – https://www.instagram.com/doceville/

San Paolo Gelato – https://www.instagram.com/sanpaologelato/

Le Pain Le Café – https://www.instagram.com/lepainlecafe/

Cacao Confeitaria Saudável – https://www.instagram.com/cacaosaudavel/

Biscoitos Briejer – https://www.instagram.com/biscoitosbriejer/

Curiosidades sobre os chocolates de origem

A linha de chocolates Single Origin seleciona amêndoas de cacau de regiões com os melhores produtores do planeta. Cada um deles provoca uma sensação única no paladar que reflete o terroir. E assim como o vinho pode oferecer características ímpares a cada colheita.

Kumabo (80,4% cacau)
Chocolate amargo produzido com um blend de cacau de plantações nobres do Oeste africano: Tanzania, Ghana e São Thomé. O primeiro impacto é de uma dose potente de cacau, com notas terrosas, de especiarias, ginseng e angélica. Em seguida, a boca é preenchida com um sabor equilibrado entre notas frutadas e amargas. Dominando o paladar, notas de frutas maduras surgem na boca. Por fim, um sabor floral é revelado, que permanece até o fim dessa experiência.

Brazil (66,8% cacau)
Entre os 3 mil km² de Mata Atlântica virgem ao redor costa da Bahia, onde a biodiversidade é mais rica do que em qualquer outro lugar do mundo, crescem as amêndoas de cacau para o chocolate da Callebaut, o Single Origin Brazil. Somadas a elas, algumas amêndoas raras do tipo Forasteiro, cultivadas no noroeste amazônico, intensificam e enriquecem ainda mais o sabor, adicionando frescor.

São Thomé (70% cacau)
Enquanto buscavam uma rota para a Índia no início da década de 1470, os exploradores portugueses descobriram uma ilha deserta ao largo da costa ocidental da África, no Golfo da Guiné. São Thomé tem uma longa tradição no cultivo de cacau africano, ao ponto de ser conhecida como a Ilha do Chocolate. Lá é produzido um cacau muito escuro e intenso, com aroma surpreendente. O chocolate é amargo com aroma levemente picante, impressões de cappuccino e suaves toques de carvalho.

Arriba (39% cacau)
As condições únicas de clima e solo na parte norte do Equador exercem um efeito decisivo sobre o cacau cultivado na região. Trata-se de um chocolate ao leite suave e amanteigado, com um leve aroma de favas de baunilha. É bastante cremoso, de textura aveludada, com toques de amêndoas e avelãs. O cacau é de um tipo antigo que está se tornando muito raro. Muitos países produtores de cacau tentaram contrabandear plantas Arriba para reproduzir localmente o sabor típico, mas sem sucesso.

Java (32% cacau)
O grão de Java, uma das mais de 17 mil ilhas da Indonésia, é extremamente raro e desejado. Chocolate ao leite de cor pálida e aroma com toque de alcaçuz e canela em pó. Na boca, é particularmente cremoso, com impressões de toffee doce, baunilha e fruta amarela.  O cacau foi provavelmente contrabandeado para a Indonésia através das Filipinas no século 17. Foi plantado primeiro na ilha de Sulawesi e depois exportado para Java.

Comentários

Comentários



[ad_2]

Source link